Prolegómenos a uma filosofia da natureza

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Mafalda Faria Blanc

Resumo

O colapso de civilização, a que assistimos desde o passado século com a generalização de conflitos e crises, vem confirmar o diagnóstico, hoje consensual, de que o modelo de desenvolvimento das nossas sociedades, entretanto mundializado, falhou – promove desumanização e barbárie em vez do prometido progresso. E isso porque a modernidade, privilegiando as liberdades em detrimento do bem comum, promoveu um modelo de racionalidade truncada, conflitual e destruidora dos equilíbrios sociais e naturais, que favorece o domínio dos mais poderosos e tudo reduz à mercadoria. Tudo isto acompanhado de um programa ideológico de emancipação das tradições, consideradas fautoras de opressão e heteronomia. Ao que contrapomos, a importância da mediação simbólica do sentido e a reabilitação produtiva da tradição, o que se traduz, no que concerne a nossa temática, na apreciação das virtualidades do novo estruturalismo científico para a exploração especulativa do carácter divino da natureza.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
FARIA BLANC, Mafalda . Prolegómenos a uma filosofia da natureza. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 25, n. 38, p. 7-24, june 2016. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/485>. Acesso em: 22 oct. 2017.
Seção
Artigos