Conspecto das principais interpretações da Metafísica de Aristóteles – dos primórdios a Paul Natorp e Eduard Zeller

Conspecto das principais interpretações da Metafísica de Aristóteles – dos primórdios a Paul Natorp e Eduard Zeller

por Guilherme da Costa Assunção Cecílio

Resumo

A Metafísica contém diversas formulações que supostamente fazem referência àquela ciência que ocuparia o topo da hierarquia das disciplinas filosóficas. Há, porém, grande divergência entre os estudiosos acerca da possibilidade de se compatibilizarem efetivamente essas diferentes fórmulas. Sendo assim, uma das questões mais relevantes que se impõe ao leitor da Metafísica é determinar se a obra se ocupa de uma única ciência preeminente ou se, ao contrário, ela contém diferentes projetos de ciência preeminente. Neste trabalho, analisamos criticamente as posições de alguns dos mais relevantes intérpretes, dedicando atenção especial a dois autores da tradição aristotélica alemã: Eduard Zeller e, principalmente, Paul Natorp.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como citar este artigo
DA COSTA ASSUNÇÃO CECÍLIO, Guilherme . Conspecto das principais interpretações da Metafísica de Aristóteles – dos primórdios a Paul Natorp e Eduard Zeller. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 25, n. 38, p. 183-204, june 2016. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/495>. Acesso em: 20 aug. 2017.
Seção
Artigos