Do instante à ek-stase: a mudança na teoria do tempo em Sartre

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Fernanda Alt

Resumo

Este artigo pretende mostrar a mudança que ocorre na teoria do tempo de Jean-Paul Sartre no fim dos anos 1930. Tal mudança consiste numa reconsideração da teoria da temporalidade sartriana, até então instantaneísta, para uma concepção ek-stática, influenciada pela leitura de Ser e Tempo de Heidegger. Consideramos que evidenciar esta mudança é extremamente importante, não somente porque nos auxilia a identificar uma periodização que nem sempre é indicada nos estudos sartrianos, mas principalmente pelo fato de que tal transformação teve um papel fundamental na elaboração da ontologia de O Ser e o Nada, sobretudo no que diz respeito à estrutura da facticidade e às análises sobre o passado. Além disso, tal investigação permite entrever de forma concreta a influência decisiva da filosofia heideggeriana no pensamento de Sartre.


 

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
ALT, Fernanda. Do instante à ek-stase: a mudança na teoria do tempo em Sartre. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 26, n. 40, p. 305-329, june 2017. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/560>. Acesso em: 10 dec. 2018.
Seção
Varia