Saber, conhecer, reconhecer: lições de epistemologia poética

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Adriane da Silva Duarte

Resumo

Esse artigo propõe o exame de uma passagem da Poética (1453b 27), em que Aristóteles emprega verbos de conhecimentos distintos, saber e conhecer (oída e gignósko) para caracterizar a ação trágica. Com o apoio de trechos das tragédias gregas, proponho relacioná-los ao conceito de reconhecimento (anagnórisis), vinculando-o ao âmbito da epistemologia.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DUARTE, Adriane da Silva. Saber, conhecer, reconhecer: lições de epistemologia poética. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 27, n. 43, p. 191-207, dec. 2018. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/592>. Acesso em: 22 mar. 2019. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2018n43a592.
Seção
Artigos