Faces of irrationality in Euripides: on Medea’s irrationality

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Daniel Simão Nascimento http://orcid.org/0000-0001-5451-7417

Resumo

In Nascimento (2015) I criticized the thesis defended in Irwin (1983) according to which two of the most famous characters in Euripides’ plays. In that article, I’ve pointed out several weakness in these thesis in order to justify my disagreement. I also suggested that, although there was no reason why we should stop looking for examples and explanations of akratic behavior in Euripides’ plays, that should not be the only kind of irrational behavior we ought to be interested in finding there. In this paper, I argue that Medea actually instantiates a form of irrational behavior that is different from akratic behavior. The argument that follows is divided in four parts. After a brief introduction (section I), I clarify what sort of irrationality I believe to be instantiated by Medea’s behavior using Michael Bratman’s theory of plan stability (section II). Then, I analyze Euripides’ text in order to show why I think we should say that Medea does display that kind of irrationality (section III). The paper concludes with a brief summary of the argument (section IV).


Faces da irracionalidade em Eurípides: sobre a irracionalidade de Medeia


Em Nascimento (2015), critiquei a tese defendida em Irwin (1983) segundo a qual dois dos mais famosos personagens das peças de Eurípides, Phaedra e Medea, poderiam ser citados como exemplos de comportamento acrático e, no caso de Phaedra, até mesmo para explique. Nesse artigo, apontei várias fraquezas nessas teses para justificar minha discordância. Também sugeri que, embora não houvesse motivo para deixar de procurar exemplos e explicações do comportamento acrático nas peças de Eurípides, esse não deveria ser o único tipo de comportamento irracional que deveríamos estar interessados em encontrar ali. Neste artigo, argumento que Medea na verdade instancia uma forma de comportamento irracional diferente do comportamento acrático. O argumento que segue é dividido em quatro partes. Depois de uma breve introdução (seção I), clarifico que tipo de irracionalidade eu acredito ser instanciada pelo comportamento de Medea usando a teoria do plano de estabilidade de Michael Bratman (seção II). Então, eu analiso o texto de Eurípides para mostrar por que eu acho que devemos dizer que Medéia mostra esse tipo de irracionalidade (seção III). O artigo conclui com um breve resumo do argumento (seção IV).


---


Original em inglês.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
NASCIMENTO, Daniel Simão. Faces of irrationality in Euripides: on Medea’s irrationality. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 27, n. 43, p. 237-272, dec. 2018. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/603>. Acesso em: 22 mar. 2019. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2018n43a603.
Seção
Artigos