Transcendência originária e possibilitação: sobre o problema da intencionalidade na ontologia fundamental

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Roberto Wu

Resumo

A hipótese do presente artigo é a de que, a despeito do reconhecimento da relevância de intencionalidade, Heidegger subordina este último à noção de transcendência, deslocando a sua justificação para o âmbito ontológico formal-transcendental. Diante disso, investiga-se qual seria o alcance do anúncio realizado por Heidegger de uma intencionalidade mais radical, elaborada a partir de sua recondução à estrutura do ser-adiante-de-si-já-sendo-em. O texto conclui com uma análise dos conceitos de transcendência e intencionalidade do ponto de vista das relações de fundação e dependência.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
WU, Roberto. Transcendência originária e possibilitação: sobre o problema da intencionalidade na ontologia fundamental. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 27, n. 43, p. 361-381, dec. 2018. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/620>. Acesso em: 22 may 2019. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2018n43a620.
Seção
Varia