Neoliberalismo e capital humano em Foucault

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Thiago Mota http://orcid.org/0000-0002-2285-5013

Resumo

O artigo aborda a análise feita por Foucault acerca do neoliberalismo norte-americano, pondo em destaque a teoria do capital humano. Para Foucault, o neoliberalismo implica uma importante mutação epistemológica no campo da economia política, que deixa de considerar o homo œconomicus como um trabalhador, o parceiro na relação de troca entre patrão e empregado, e passa a considerá-lo como um empresário de si mesmo, um sujeito que possui e gerencia seu próprio capital, o qual é composto por suas competências. Com base nisso, a teoria do capital humano propõe uma série de mecanismos de incentivo e desincentivo, que tornam efetivo o exercício do governo dos indivíduos, tanto por parte de Estados e de empresas quanto por parte dos próprios indivíduos. A noção de capital humano constitui, assim, um instrumento de autogoverno. Forma de governamentalidade útil e vantajosa para o capital, bem como para os governos, o neoliberalismo não é, entretanto, apto a promover a vida em seu sentido pleno, forte e potente.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MOTA, Thiago. Neoliberalismo e capital humano em Foucault. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 49, p. 227-255, jan. 2022. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/773>. Acesso em: 06 oct. 2022. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2021n49a773.
Seção
Varia

Referências

BECK, U. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. Tradução: S. Nascimento. São Paulo: Ed. 34, 2010.
BECKER, G. A treatise on the family. Cambridge/Londres: Harvard University Press, 1991.
BECKER, G. Human capital: a theoretical and empirical analysis with special reference to education. Chicago: The University of Chicago Press, 1964.
BECKER, G.; POSNER, R. Uncommon sense: economic insights, from mariage to terrorism. Chicago/Londres: University of Chicago Press, 2009.
BIDET, J. Foucault avec Marx. Paris: Éd. La Fabrique, 2014.
BOURDIEU, P. Escritos de educação. Tradução: M. Castro et al. 9.ed. Petrópolis: Vozes, 2007.
DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.
DUBNER, S.; LEVITT, S. Freakonomics: o lado oculto de tudo que nos afeta. Tradução: R. Lyra. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
FOUCAULT, M. A sociedade punitiva: curso no Collège de France (1972-1973). Tradução: I. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2015.
FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). Tradução: E. Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
FOUCAULT, M. Segurança, território, população. Tradução: E. Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008.
KEYNES, J. M. Novo enunciado da teoria geral do emprego. A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. Tradução: C. Contador. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Col. Os Economistas).
MALTHUS, T. Princípios de economia política e considerações sobre sua aplicação prática. Tradução: R. Andrade et al. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Col. Os Economistas).
MARX, K. Força de trabalho. O capital: crítica da economia política. v. 1. Tradução: R. Barbosa e F. Kothe. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Col. Os Economistas)
MOULIER-BOUTANG, Y. Le capitalisme cognitif. La nouvelle grande transformation. Paris: Ed. Amsterdam, 2007.
NEGRI, A. Bioeconomia. São Paulo: Iluminuras, 2015.
NIETZSCHE, F. Além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. Tradução: P. Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.
RICARDO, D. Princípios de economia política e tributação. Tradução: P. Sandroni. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Col. Os Economistas)
ROSE, N. A política da própria vida: biomedicina, poder e subjetividade no século XXI. Tradução: P. Valerio. São Paulo: Paulus, 2013.
SCHULTZ, T. Investment in human capital: the role of education and of research. New York: Free Press, 1971.
SMITH, A. A riqueza das nações: investigação sobre sua natureza e suas causas. v. I e II. Tradução: L. Baraúna. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Col. Os Economistas).