O prazer estético: Schopenhauer entre o dito e o não dito Português

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Dax Moraes http://orcid.org/0000-0002-7634-3611

Resumo

A Estética de Schopenhauer, ou melhor dizendo, Metafísica do Belo, é bem conhecida pela estranha afirmação segundo a qual o prazer estético deve ser compreendido e até mesmo possibilitado exclusivamente sob a condição de um estado de contemplação isento de vontade. Além do fato de isso significar uma espécie de sentimento absolutamente intelectual, surpreendentemente, ainda é um acontecimento pelo qual um mero instrumento de conhecimento deve superar seu senhor – a vontade – de tal maneira que se torna capaz de se libertar para conhecer objetos supostamente sem interesse algum para a vontade. Este artigo pode desafiar essa teoria a fim de dar sentido ao que Schopenhauer poderia querer dizer com isso.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MORAES, Dax. O prazer estético: Schopenhauer entre o dito e o não dito. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 48, p. 115-149, june 2021. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://www.oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/776>. Acesso em: 08 dec. 2021. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2021n48a776.
Seção
Artigos

Referências

BRUM, J. T. O pessimismo e suas vontades: Schopenhauer e Nietzsche. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.
CACCIOLA, M. L. A questão do dogmatismo. São Paulo: USP, 1994.
CACCIOLA, M. L. O conceito de interesse. Cadernos de filosofia alemã, São Paulo, n. 5, p. 5-15, ago. 1999.
MORAES, D. Desinteresse e comprazimento estético: considerações acerca da apreciação estética kantiana por Schopenhauer face às de Hegel e Heidegger. O que nos faz pensar, Rio de Janeiro, v. 19, n. 28, p. 145-167, dec. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2021.
OUPNEK'HAT. In: DUPERRON, A. Theologia et filosofia indica. Tomus II. Paris: Argentorati, 1802.
ROSSET, C. La estética de Schopenhauer. In: ______. Escritos sobre Schopenhauer. Trad. Rafael del Hierro Oliva. Valencia: Pre-textos, 2005. p. 119-199.
SCHOPENHAUER, A. Metaphysik des Schönen. Ed. Volker Spierling. Munique: Piper, 1985.
SCHOPENHAUER, A. Schopenhauer im Kontext: Werkausgabe I. Berlin: Karsten Worm InfoSoftWare, 2001. 1 CD-ROM.
SCHOPENHAUER, A. Metafísica do belo. Trad. anot. Jair Barboza. São Paulo: UNESP, 2003.
SCHOPENHAUER, A. Aforismos para a sabedoria de vida. Trad. Jair Barboza. São Paulo: M. Fontes, 2009.
SCHOPENHAUER, A. Sobre filosofia e ciência da natureza. In: ______. Sobre a filosofia e seu método. Trad. Flamarion C. Ramos. São Paulo: Hedra, 2013. p. 149-234.
SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e representação: tomo II – Complementos: Livros I-II. Trad. Eduardo Ribeiro da Fonseca. Curitiba: UFPR, 2014a.
SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e representação: tomo II – Complementos: Livros III-IV. Trad. Eduardo Ribeiro da Fonseca. Curitiba: UFPR, 2014b.
SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e como representação: primeiro tomo. Trad. Jair Barboza. São Paulo: UNESP, 2015a.
SCHOPENHAUER, A. O mundo como vontade e como representação: segundo tomo. Trad. Jair Barboza. São Paulo: UNESP, 2015b.